sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

[Jogo Rápido] "Fortuna de 62 mais ricos é igual à de metade da população" Desigualdade? Será mesmo?

Como sempre acontece e desta vez não poderia ser diferente, dias antes da realização do Fórum Econômico de Davos a Oxfam divulgou o seu polêmico (e nada sério) estudo sobre a desigualdade econômica no mundo. Vamos ao que não te contaram sobre este assunto!




A primeira coisa que acredito que você sempre deve levar em conta é: questione toda e qualquer informação que lhe apresentam como verdade. Toda informação tem dois lados, mas dificilmente irão lhe apresentar os dois na mesma notícia, então pesquise!


O segundo ponto é que estatísticas são apenas números e podem ser interpretados de ‘n’ formas, ou seja, mais uma vez não acredite na primeira interpretação que lhe apresentam.


A terceira coisa que não te falaram, talvez a mais importante é que a Oxfam se quer realiza o tal estudo por conta própria, a organização apenas usa dados de outras pesquisas e dá o seu parecer sobre a situação, sempre pessimista.




Este ano, por exemplo, o texto base para a conclusão da enorme desigualdade é uma pesquisa anual do Banco Credit Suisse, uma pesquisa de mapeamento. Em suma, o banco mapeia as pessoas de maior Patrimônio Líquido no mundo para mapear (saber) quem são potenciais clientes.


O problema já começa daí... Patrimônio Líquido, sabemos é a soma de tudo que você tem (bens e valores monetários) subtraindo basicamente tudo o que você deve. Suponhamos, portanto, que um jovem casal de engenheiros, recém-formados e com um salário razoável decidam comprar um apartamento e comprometam boa parte de sua renda com isso.


Assumindo tal dívida eles terão seu patrimônio líquido baixo, e não serão considerados clientes potenciais para o banco. Acontece também que eles não podem ser considerados pessoas desprivilegiadas economicamente, uma vez que têm um enorme potencial de criação de renda futura e uma vida bem melhor do que a de pessoas que vivem de fato, abaixo da linha da pobreza, em condições desiguais e este fato é omitido pelo estudo da Oxfam.


Entendeu o problema da interpretação aqui? O motivo de ser tão perigoso uma organização publicar um estudo sobre desigualdade tendo como base a pesquisa (estatísticas) de mapeamento de um grande banco? Eles acabam por colocar “todos em um mesmo saco”, tanto o jovem casal citado como um morador de rua têm a mesma condição econômica quando as estatísticas são interpretadas desta forma.






Estudos assim causam impacto e geram notícia, uma vez que a maioria das pessoas simplesmente aceita aquilo como verdade absoluta e não pesquisa as “informações do mundo real” e o impacto é tremendo, uma vez que pessoa nenhuma nesse mundo gosta de se sentir injustiçada.


Agora, você já se perguntou: Será que o mundo está mesmo tão desigual? Quem são essas pessoas mais ricas do mundo? Por que grande parte dos mais ricos estão nos EUA?


O que concluo sobre tais questões é o seguinte: não, o mundo não está “tão desigual” como se é propagado por estudos de fundamento frágil como esse. Na verdade, estamos perto de erradicar a pobreza mundial, pela primeira vez na história da humanidade, como você pode ver aqui. Ou ainda em outros milhões de artigos e estudos que podem ser facilmente encontrados na internet.


Mas, lembre-se: erradicar a pobreza, não significa proporcionar uma vida de luxo e ostentação a todas as pessoas do mundo.


Engana-se e muito se você pensa que todas as pessoas mais ricas do mundo são um bando de privilegiados que nasceram em berço de ouro. A verdade é que dos 100 mais ricos do mundo, nada menos que 73 deles são “self-made-billionaires”, ou seja, trabalharam e muito, por conta própria para chegar onde chegaram. Apenas 27 são ricos por herança, o que também não é nada desmerecedor, ninguém tem culpa de ter pais bilionários não é mesmo?


Se você sente injustiçado de alguma forma, sugiro que pesquise a história de vida dessas 73 pessoas, ou algumas delas ao menos. É um combustível que mostra que TODO MUNDO PODE!



E ainda por que a maior parte dos mais ricos estão nos EUA? Primeiramente devido a cultura do “Make the Money”. Enquanto nós brasileiros somos ensinados a ter um emprego para “Ganhar Dinheiro” o americano sabe desde muito pequeno que ele terá que produzir, gerar valor e fazer o seu dinheiro.


Também porque os EUA é uma nação extremamente aberta à prática da tentativa e erro (empreendedorismo), eles não têm receio de errar e sabem que do erro podem nascer coisas extraordinárias e de grande valor. Ao começar um negócio lá eles não precisam também “dar todo o seu faturamento” em forma de impostos ao governo. Poderia citar muitas outras causas, mas não o farei, fica a reflexão.






Um último ponto é que no estudo foi citado que são necessários mais impostos às empresas mais ricas, pois impostos são capazes de diminuir a desigualdade. Agora eu te pergunto: Será mesmo? A sociedade necessita de impostos para funcionar? Acredito que se isso fosse verdade, o Brasil seria o paraíso na Terra, uma vez que arrecadamos aqui exatos R$ 100 bilhões em menos de um mês.


Outro ponto que poucas pessoas refletem sobre impostos é que, no Brasil, por exemplo, o que prevalece são os impostos sobre consumo, isto prejudica essencialmente os mais pobres, uma vez que estes consomem (gastam) a maior parte do que ganham. A maior parte dos beneficiários dos subsídios do BNDES são empresas com faturamento acima de 300 milhões de reais por ano. A maior parte dos alunos de universidades públicas (mantidas por impostos) são pessoas ricas.


Fato é que tudo isso é apenas transferência de renda do mais pobre para o mais rico, não elimina desigualdade, pelo contrário, só as agrava.



As lições que ficam são:


- Sempre questione tudo o que queiram lhe apresentar como verdade absoluta;


- Em breve iremos erradicar a pobreza pela primeira vez na história da humanidade e isso não significa uma vida de luxo a todos;


- As pessoas mais ricas do mundo não nasceram em berço de ouro, tampouco são mesquinhas e colocam dinheiro em vários dos projetos que vão ajudar a erradicar a pobreza (pesquise);


- Imposto não reduz desigualdade, na maioria dos casos a agrava;


- O EUA é o maior reduto de grandes fortunas justamente pela liberdade que o governo proporciona aos seus cidadãos, bem diferente do Brasil;


- Não condene os ricos, provavelmente algum deles lhe proporciona emprego ou investe/pode vir a investir naquele seu genial projeto que te deixará rico também. Ricos na verdade só estão esperando boas oportunidades para colocar o dinheiro para trabalhar;


- Sempre desconfie de um governo que julga que seu povo não é capaz de nada, como pagar pela própria educação ou saúde e com essa desculpa leva 5 dos seus 12 meses de trabalho todos os anos, na forma de impostos que irão “melhorar a sua vida”. Você vê essa melhora? Aliás, você precisa mesmo que um governo cuide do seu dinheiro? Acho que não!

------------------------------------------------------------------------------------

Bibliografia, caso você queira se aprofundar no assunto:

http://economia.terra.com.br/fortuna-de-62-mais-ricos-e-igual-a-de-metade-da-populacao,fc72ed60b4a1bc8e3e6c33bc86a52f28nuenm5ue.html

http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/desigualdade-estao-usando-estatisticas-para-enganar-voce/92931/

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2292

-----------------------------------------------------------------------------------

Deixe seu comentário, compartilhe se achar útil e...


Até a próxima! =)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

O Que Aprendi Sobre Abundância

Olá! Tudo bom com você? Bom, eu espero que sim! =)

Neste artigo quero compartilhar com você, alguns insights e notas que tomei durante a leitura do que considerei: o melhor livro que já li na vida!

Tal livro fala sobre Abundância, estará citado ao final deste artigo. Se você quer ser mais otimista e ver um pouco mais das nossas “possibilidades de mundo melhor”, vem comigo!




O primeiro a ponto a se saber é que: abundância é um conceito universal. Isso sugere que, os projetos extraordinários que estão sendo realizados ao redor do mundo, e sim, principalmente nos EUA, são pensados para proporcionar melhorias na qualidade de vida da população do mundo inteiro.


Bill Gates investindo em vacinas para malária, pesquisas para encontrar cura para Aids, por exemplo. Tais fatos não são benéficos somente aos cidadãos americanos, pelo contrário, o são muito mais às nações em desenvolvimento, que sofrem muito mais com essas doenças.


O segundo ponto a se saber é que tais soluções têm sido constantemente pensadas e aperfeiçoadas, pois, estima-se que até 2050 seremos 10 bilhões de pessoas na Terra. Esta, segundo cientistas, é a capacidade máxima de nosso planeta, depois disso tal número tende a cair.


O ponto chave aqui é que, a nossa estimativa de vida aumenta a cada ano. Cientistas alegam que a pessoa que irá viver 150 anos já nasceu. Logo, não seremos 10 bilhões de pessoas porque está nascendo muita gente, pelo contrário, seremos 10 bilhões porque estamos vivendo mais.


Como se sabe, idosos são pessoas fora da chamada “PEA- População Economicamente Ativa”, conforme envelhecemos nossa capacidade de trabalho e força produtiva diminui drasticamente. Logo, como poucos jovens darão conta de produzir para todo mundo? Essa resposta só pode ser dada através da inovação. Você precisa conhecer o que está sendo feito!


Vamos ao que aprendi:


> A evolução moldou o cérebro humano para ter uma consciência aguda dos perigos potenciais. Essa combinação exerce impacto profundo na percepção humana: ela literalmente bloqueia nossa capacidade de assimilar boas novas.


Ficar o mais longe possível dos noticiários que, devido ao sensacionalismo exercido pela mídia só mostram coisas ruins que acontecem pelo mundo, excluindo tudo o que é bom. Afinal, tem muita gente que gosta de ser telespectador da desgraça alheia.


> O século XX é um bom exemplo de período onde ocorreram no mundo várias coisas ruins que mataram milhões de pessoas como: surtos de gripe e a Segunda Guerra Mundial. Por outro lado, ocorreram vários avanços também que nos fizeram diminuir expressivamente o número de mortalidade infantil, o número de mortalidade materna e aumentar em mais de 100% nossa expectativa de vida.


> Por mais que as notícias ruins persistam nos noticiários, fato é que os avanços continuam acontecendo em meio à tudo isso e os nossos ganhos têm sido maiores que nossas perdas.


> A época do isolamento passou. Qualquer problema que você consiga resolver aqui impacta quase todo o mundo. A grande solução está em aperfeiçoar a qualidade do padrão de vida global: riqueza, educação, alimentação.


> Estamos em um mundo super digital, a internet tem o poder de conectar pessoas, de dar voz a ideias antes desconhecidas, podemos sim contribuir uns com os outros, isto melhora o nosso nível de educação e a educação nos torna capazes de aumentar nossa riqueza e ser mais saudável.


> A escassez é muitas vezes contextual.


> A tecnologia é um mecanismo liberador de recursos. Pode transformar o outrora escasso no agora abundante.


> A humanidade consome atualmente cerca de 16 terawatts anuais de energia, existe mais de 5 mil vezes energia solar atingindo a superfície do planeta do que consumimos num ano.


> O problema aqui não é escassez, mas acessibilidade.


> Estima-se que até 2050 seremos 10 bilhões de pessoas no mundo. O controle das taxas de natalidade é algo difícil de ser conseguido pelos meios que já conhecemos, como a lei do filho único na China, tal prática só levou ao aumento de subornos, da corrupção, além de dizimar várias vidas, uma vez que filhos homens são preferíveis à filhas mulheres.


> A melhor forma de controle não é tentar diminuir o 'menor bolo' e sim, encontrar maneiras de sermos mais eficientes, de suprir as necessidades de todos.


> Imagine um mundo com 9 bilhões de pessoas com água limpa, alimentos nutritivos, moradia acessível, educação personalizada, assistência médica de primeira e energia abundante não poluente.


> Construir esse mundo é o maior desafio da humanidade.


> Abundância não significa proporcionar a todos neste planeta uma vida de luxo - pelo contrário, significa proporcionar a todos uma vida de possibilidades.


> Um mundo onde os dias de todos sejam gastos com sonhos e realizações, não em luta pela sobrevivência.


> Segundo Bill Gates: "A principal coisa que você pode fazer para reduzir o crescimento da população é realmente melhorar a saúde. Existe uma correlação perfeita: conforme você melhora a saúde, dentro de meia geração a taxa de crescimento da população diminui.


> Energia elétrica é um dos recursos que mais precisamos para fazer praticamente tudo em nossas vidas, foi com ela também que vieram muitos dos avanços humanitários que hoje já consideramos normais. Por outro lado, ela também é um dos recursos mais difíceis de se obter, principalmente se for de forma limpa.


> Use bem a energia elétrica que você dispõe, não desperdice por nada. Ainda existem milhões de pessoas no mundo que não têm acesso a este bem valioso. Só use por necessidade ou para construir valor.


> Claramente a internet é a maior ferramenta de autoaperfeiçoamento da história.


> Bem diferente de outros tempos, atualmente diploma não é mais garantia de sucesso. A educação da forma que conhecemos hoje foi criada ainda no século 19 e pouca coisa foi mudada desde então e isso não é um problema só do Brasil. Fato é que o mundo sim, mudou bastante. Não faz mais sentido temos um sistema educacional, que é em sua maior parte “factual”, fatos encontramos no Google. Mudar a educação é um dos maiores desafios do mundo.


> A melhor definição de prosperidade é simplesmente 'tempo poupado'. Esqueça os dólares, conchas de búzios ou ouro. A verdadeira medida do valor de algo são as horas despendidas para adquiri-lo.


> De acordo com a ONU, a pobreza se reduziu mais nos últimos cinquenta anos do que nos quinhentos anos precedentes.


> Progresso cumulativo= ideias se encontram, acasalam e mudam. "Se eu vi mais longe, foi por estar de pé sobre ombros de gigantes."


> Desenvolva uma tecnologia nova e você incentivará as pessoas a olharem além da própria rede social.


> A especialização e inovação ao longo dos anos trouxe melhoras para a nossa qualidade de vida. Uma vez que, foram criados processos que nos fazem poupar tempo.


> Cultura é a capacidade de armazenar, trocar e melhorar ideias.


> As informações são nossa última e mais brilhante mercadoria.


> Vídeo: “As melhores estatísticas que você já viu”. Clique aqui para assistir. 


> O mundo não precisa de mais universidades de pesquisa geradoras de ultraespecialistas. Já temos em número suficiente. Lugares como MIT, Stanford, etc., já dão conta de criar supergênios capazes de se destacar em seus nanonichos. Precisamos de um lugar onde as pessoas possam ir para ouvir as maiores e mais ousadas ideias, aquelas possibilidades exponenciais que ecoam Arquimedes: "Deem-me um ponto de apoio e uma alavanca e moverei a Terra".


> Com essa ideia foi criada a Singularity University, mas precisamos de mais.


> Não importa quem você seja, a maioria das pessoas mais inteligentes trabalha para outra pessoa. -Bill Joy


> Se abríssemos mão de nosso vício da TV por apenas um ano, o mundo teria mais de um trilhão de horas de excedente cognitivo para dedicar aos projetos compartilhados. Imagine o que poderíamos fazer pelos grandes desafios do mundo com um trilhão de horas de atenção concentrada.


> Atualmente nos EUA, 70% da água é usada para a agricultura, mas 50% dos alimentos produzidos são jogados fora. Cinco por cento de nossa energia vai para bombear água, mas 20% dessa água vaza por furos nos canos esburacados.


> O que também ocorre no Brasil.


> Insustentáveis 70% da água na Terra são agora gastos no cultivo de alimentos. A Espanha acaba de instalar um sistema de irrigação nacional auxiliado por computador que visa levar os agricultores a pouparem 20% dos 3,4 trilhões de litros consumidos anualmente.


> Somos como deuses e podemos ser bons nisso, também. -Steward Brand, sobre o propósito do DIY.


> Dê mais do que você toma, compartilhe seus segredos comerciais.


> Homebrew Computer Club, foi um grupo fadado a mudar o mundo. Dele nasceram ao menos 23 empresas, incluindo a Apple. No final criaram toda uma indústria que, em virtude dos computadores terem se tornado ferramentas de uso generalizado no trabalho e lazer, transformou toda a economia americana.


> O poder de um grupo engajado.


> Carnegie acreditava que a riqueza pessoal deve ser usada para melhorar o mundo, e a melhor forma de fazê-lo não era deixar o dinheiro para os filhos ou legá-lo ao Estado para obras públicas.


> Se pararmos de pensar nos pobres como vítimas ou como um fardo e começarmos a reconhecê-los como empresários resilientes e criativos e consumidores conscientes do valor, todo um mundo novo de oportunidades se abrirá.


> Entra em cena o banco móvel. Permitir que os pobres do mundo abram contas bancárias digitais acessíveis via telefones celulares exerce um forte impacto na qualidade de vida e redução da pobreza.


> Nubank.


>  As grandes mercadorias atuais não são objetos físicos, são ideias.


Atualmente a categoria de emprego que mais cresce é a do "trabalhador do conhecimento".


> Todas as lutas são efetivamente conflitos em torno do potencial energético dos recursos. Portanto, acabem com as guerras.


> Sucessivos estudos mostram que os estudantes têm um desempenho melhor quando ajudados por alguém que se importa com o seu progresso.


> A nossa luta é encontrar soluções extraordinárias para problemas complexos a um custo cada vez mais baixo.


> Os governos que querem a censura estão travando uma batalha contra a natureza da tecnologia.


> As tecnologias de informação e comunicações modernas são as melhores ferramentas de autocapacitação que já vimos.


> Numa nova era de poder compartilhado, ninguém consegue produzir sozinho o progresso.


> Sempre haverá os do contra. As pessoas resistirão às ideias revolucionárias até o momento em que forem aceitas como nova norma.


> Você nunca será capaz de obter grandes sucessos sem arriscar grandes fracassos. Se quiser obter grandes sucessos, nada melhor do que correr riscos. Claro que ninguém gosta de fracassar, mas quando o medo do fracasso se traduz em assumir menos riscos e não correr atrás dos sonhos, muitas vezes significa não avançar. A audácia é como um músculo: quanto mais usamos, mais forte fica. Quanto mais estivermos dispostos a arriscar o fracasso e perseguir nossos sonhos e desejos, mais audazes nos tornamos e mais fácil será da próxima vez.


> Moral da história: correr riscos é parte indispensável de qualquer ato criativo.


É isso! Lembrando que esses foram alguns dos insights e notas que tirei, no livro você vai encontrar grandes projetos, possíveis soluções para todos esses problemas. Quando você lê parece até coisa de outro mundo, mas não é. É apenas algo fora da sua realidade, mas te faz enxergar o mundo de outra forma. Recomendo fortemente a leitura!


O livro é: Abundância- O Futuro é Melhor do que Você Imagina, de Peter H. Diamandis e Steven Kotler. Ou melhor, clique aqui para ver.


Espero que essas ideias tenham contribuído em algo com você. Deixe seu comentário. Compartilhe se gostou e...


Até a próxima! =)