sábado, 24 de outubro de 2015

A importância da Educação Financeira

Você sabe qual a importância da Educação Financeira? Sabia que ser bem sucedido neste quesito é muito bom inclusive para a sua saúde? Você conhece a importância das crianças serem bem educadas financeiramente?



Neste artigo irei falar sobre todos esses tópicos e ainda darei algumas dicas para que você se organize financeiramente. Vem comigo! =)




A rápida evolução do nosso mundo e as constantes crises que as nações têm enfrentado de tempos em tempos fez com que a Educação Financeira se tornasse assunto primordial para muitas pessoas e famílias.


Ter o orçamento estabilizado para a compra de uma casa, carro, investir na educação dos filhos ou na própria e poupar para ter uma boa aposentadoria, são objetivos comuns a muitas pessoas, mas sabemos que chegar lá não tem sido tarefa das mais fáceis.


Aqui no Brasil, a maioria das pessoas nunca foram acostumadas a poupar recursos financeiros, estiveram sempre habituadas a deixar para o governo o papel de zelar por suas tão aguardadas aposentadorias, com o FGTS. Hoje porém, a maioria sabe que esse investimento não é nenhum pouco rentável, além de não ser 100% seguro como foi “pregado” por aí durante tanto tempo.


A expectativa de vida das pessoas vem aumentando em todo o mundo e no Brasil não seria diferente. Este fato está fazendo com que as pessoas queiram planejar melhor suas aposentadorias, visto que desfrutarão dela por mais tempo, logo a escolha pelo melhor plano tem sido pensada com mais responsabilidade.




O Mercado Financeiro hoje é bastante vasto e complexo, e isso faz com que muitas pessoas se sintam “perdidas” na hora de escolher o melhor investimento, isto é, aquele que atende ao objetivo que se quer atingir.


Por não conseguir encontrar o melhor dentre tantas opções muitas pessoas acabam perdendo dinheiro em vez de ganhar e isso faz com que desanimem e desistam do Mercado Financeiro e parem de investir.

Dessa necessidade de se conhecer a melhor dentre tantas opções oferecidas é que surge a importância da Educação Financeira.”



As pessoas que forem educadas financeiramente, estarão mais preparadas para poupar dinheiro e analisar os produtos financeiros oferecidos pelo Mercado, produto este que deve responder adequadamente às suas necessidades e perfil.


A ação de conseguir poupar recursos financeiros traz um efeito muito positivo para a melhora do nível de investimento pessoal e nível econômico geral do próprio país. Um dos maiores desafios atualmente é que as pessoas se convençam que não estão suficientemente preparadas para cuidarem de suas finanças pessoais.

Esse processo é extremamente importante, visto que, quando reconhecemos que não sabemos algo, a busca pelo aprendizado fica muito mais fácil.”






Um dos grandes objetivos desse aprendizado é evitar o quadro que hoje temos em nosso país, estima-se que temos mais de 56 milhões de pessoas endividadas no Brasil, sem esperança de conseguirem resolver seus problemas financeiros.


Segundo pesquisas recentes o endividamento está inclusive, causando danos à saúde dos brasileiros, desencadeando sintomas de duas doenças consideradas como o mal do século, que são: ansiedade e depressão.


Além das dívidas muitos estão sofrendo pela perda de seus postos de trabalho e com isso, sabemos, fica praticamente impossível conseguir sanar as dívidas, uma vez que não se tem mais garantia de salário.

Essa é a mais valiosa importância da Educação Financeira nos dias de hoje, ajudar todo cidadão a utilizar os juros compostos a seu favor, recebendo juros sobre seu capital, ao invés de pagar juros sobre suas dívidas.


Um dos maiores vilões para os altos níveis de endividamento no Brasil são as altas taxas cobradas sobre o consumo, causado principalmente, pela urgência que as pessoas têm em ter algo, não planejando aquisição alguma.


As pessoas aqui compram casa, carro, computadores, smartphones, sapatos, roupas etc. A maior parte disso usando o crédito ou financiamentos, devido ao imediatismo e ausência de planejamento financeiro.

Com esse comportamento a maioria deixa de ganhar ótimos descontos pagando à vista e acabam por pagar juros altíssimos às Instituições Financeiras, uma vez que grande parte assume dívidas que vão além de sua capacidade de pagamento.



Existem algumas ações que, apesar de serem bem simples são extremamente benéficas na busca por alcançar o equilíbrio financeiro. Listarei agora 5 delas e seus respectivos benefícios:



1. Faça anotações: a melhor forma de controlar seus gastos, consequentemente seu dinheiro é fazendo anotações. Procure a forma de controle que você mais se adapta, seja planilhas financeiras, aplicativos, ou o bom e velho caderninho. Anote quais são as suas fontes de renda, seus gatos obrigatórios e extras. Faça uma estimativa de quanto irá gastar com as contas que mudam de valor a cada mês. Com isso você conseguirá enxergar quais são seus gastos desnecessários.


2. Obrigações e não obrigações: anote todos os gastos não obrigatórios que você realizou. Some todos os valores e veja se “as contas fecham”, isto é, se o seu salário é suficiente para arcar com tudo. Analise todas as despesas fixas e não fixas e veja se é possível reduzi-las. A intenção, além de evitar o endividamento, é que você faça reserva para possíveis emergências, além de começar a aplicar.


3. Aprenda a Poupar: a melhor forma de reduzir gastos é classificá-los. É fácil eliminar aquilo que te faz gastar dinheiro mesmo quando você praticamente não usa, como as dezenas de canais da TV a cabo, aos quais ninguém assiste. O consumo de energia e água também fica mais barato se você prestar atenção ao que está sendo gasto de forma ineficiente.


4. Pague em dia: pagar contas em dia te ajuda a economizar. As taxas de juros do cartão de crédito são as mais altas, portanto, priorize essa despesa. Financiamentos, aluguel, tributos, etc., também geram juros quando pagos em atraso e isso, logicamente, reduz seu saldo bancário. E evite comprar por impulso.


5. Estabeleça metas: se o que você ganha é menor do que o que você gasta, estipule metas de redução com prazos a cumprir. Fique atento por cumprir o seu cronograma! E lembre: a partir do momento que você consegue poupar é hora de começar a investir para maximizar seus ganhos.



Parece difícil, mas não é. Evitar dor de cabeça por assuntos que envolvem dinheiro depende muito mais da sua organização do que da sua renda. E ser bem organizado neste quesito ainda te garante um maior bem estar pessoal! Resumindo: vale a pena! =)


Educação Financeira para Crianças, é importante?





Sabemos que a educação em nosso país é carente em muitas áreas e essa é uma das principais. A Educação Financeira é muito importante na vida dos pequenos, é bastante benéfico que desde cedo eles aprendam a usar o dinheiro com consciência, uma vez que também são consumidores.


Desde 2009 existe em nosso país um projeto de Lei para que a disciplina “Educação Financeira” seja inclusa na grade curricular das escolas públicas e privadas de todo o país, mas até hoje é só projeto mesmo. Então, continua sendo responsabilidade única e exclusiva dos pais.


Falar de dinheiro com crianças é saudável, principalmente se pensarmos que as pessoas adultas hoje endividadas são frutos de uma geração que não falava de dinheiro em casa.


É inevitável, alguma hora, esse que hoje é criança terá de lidar com o próprio dinheiro.”



De acordo com uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial, as crianças com uma sólida educação financeira terão maior facilidade em pensar no futuro e planejarem suas economias.


Você pode aproveitar a própria rotina para começar a ensinar economia ao seu filho, por exemplo: leve as crianças ao supermercado, mas faça uma lista com os itens que estão em falta. Esta é uma simples forma da criança começar a diferenciar necessidade de desejo na hora do consumo.


Vale também adotar a mesada para ajudá-los a lidar com dinheiro e criar regras. Veja essa planilha com regras da mesada que viralizou na internet há um tempo atrás:




Bons exemplos à parte, jamais esqueça que para o seu filho o maior exemplo tem que vir de você. Não adianta nada negar a ele um brinquedo no Shopping se logo em seguida você “torrar” todo o cartão de crédito da liquidação da loja ao lado.


Em suma, ensine seu filho a sempre depositar parte do que ganha no “porquinho” para que desde cedo ele entenda que tudo na vida tem seu preço. Com certeza, adotando esses hábitos saudáveis ele será um adulto muito mais equilibrado financeiramente e consequentemente mais feliz.




E uma última dica para você é: NÃO SE ENGANE! A melhor pessoa para cuidar do seu dinheiro é você mesmo! 


Não acredite naquele superinvestimento que o gerente do banco lhe recomenda, pois tenha certeza, ele não está interessado se você vai alcançar seu objetivo e sim, ele está interessado na meta dele, no objetivo do banco e não no seu. 


E também, não acredite jamais que o governo está interessado em conseguir pagar sua aposentadoria, FGTS não rende quase nada e não o governo não está interessado no seu bem-estar, eles têm outras prioridades! Seja você o responsável pelos seus ganhos e se precisar consulte um profissional que seja especializado em finanças pessoas e não o gerente do banco! ;)


Se você gostou deste artigo compartilhe com seus amigos nas redes sociais, assim podemos ajudar mais pessoas! 


Deixe seu comentário! 


E fique ligado para acompanhar os próximos artigos desta série sobre Finanças Pessoais, o conteúdo é postado semanalmente!



Leia aqui o segundo artigo desta série sobre Finanças Pessoais, onde falei sobre Ciclo Financeiro! 


Até a próxima! =)