terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Orçamento Pessoal e Familiar: entenda tudo e faça o seu!

Você sabe como organizar o seu orçamento pessoal? Tem alcançado os seus objetivos financeiros da forma que você faz? Ou você sente que precisa melhorar e quer aprender mais sobre este tema?


Bom, se você quer aprender mais ou se ainda não sabe nada, este artigo é para você! Continue a leitura e entenda tudo sobre este assunto e veja também como fazer o seu orçamento! =)




A primeira coisa importante que você saiba é que o Orçamento é uma ferramenta financeira que auxilia no seu Planejamento Financeiro, eu falei sobre Planejamento no terceiro artigo desta série e você pode ler clicando aqui.


O Orçamento então é uma ferramenta que vai contribuir para a realização dos seus sonhos e projetos. Aqueles sonhos e projetos que você definiu a partir do seu Planejamento Financeiro. Para que isso se realize é necessário que você internalize essa visão de futuro e a traga a seu momento presente, isso irá lhe ajudar a traçar metas claras e objetivas.


A partir disto você poderá então gerir toda sua movimentação de recursos financeiros, ou seja, todas as receitas (rendas), todas as despesas (gastos) e todos os seus investimentos. E o primordial aqui é que tudo isto esteja anotado, documentado de alguma forma, é isto o seu orçamento pessoal.  




Primeira coisa: Pense, de onde vem e para onde vai o seu dinheiro


Saber de onde vem o dinheiro é a tarefa mais fácil, isso geralmente as pessoas sabem bem. Se trabalha, você recebe por isso, obviamente daí vem o seu dinheiro. Ele pode vir também através de investimentos que você tenha realizado, de benefícios empresariais ou governamentais que você receba, de algum plano de previdência que você tenha feito, de imóveis que você tenha alugado, etc. Enfim, se você recebe algum dinheiro você muito provavelmente sabe de onde veio.


A grande questão a se refletir é: para onde o seu dinheiro está indo? Pesquisas apontaram que a maior parte da população não sabe onde gasta seu dinheiro ou o quanto gasta em cada grupo de despesas. Não sabe o quanto gasta em alimentação, moradia, vestuário, educação, saúde, lazer, etc.


E você? Tem ideia de como suas despesas se comportam? Sabe quais itens consomem a maior parte da sua renda? Quanto você já pagou de juros neste ano? Você planeja seus gastos? Sua poupança? Se planeja, você cumpre?


Então, a primeira coisa é: saiba para onde o seu dinheiro está indo! O seu controle tem de ser efetivo, de modo que, você possa alcançar seus objetivos no menor tempo ao menor custo possível.







Segunda coisa: Conheça a importância do Orçamento


O mais importante do Orçamento é que ele irá te oferecer uma oportunidade para que você avalie sua vida financeira e defina prioridades. Ele irá lhe ajudar a:


·      Escolher os seus projetos;

·      Conhecer a sua realidade financeira;

·      Fazer o seu planejamento financeiro;

·      Conhecer a sua realidade financeira;

·      Definir suas prioridades;

·      Identificar e entender seus hábitos de consumo;

·      Organizar sua vida financeira e patrimonial;

·      Administrar imprevistos;

·      Consumir de forma contínua e responsável.


Em suma, o orçamento é importante ferramenta para que você conheça e administre suas receitas e despesas e com isso possa planejar e alcançar seus sonhos.







Mãos à obra: Elaborando o Orçamento



O princípio básico a ser seguido é que os seus gastos não podem ultrapassar as suas receitas. Além disso, é muito bom que as suas receitas sempre superem os seus gastos, desta forma lhe sobra recursos para poupar e vir a investir, te ajudando a encurtar o caminho até os seus sonhos, a ter recursos para eventuais emergências e se preparar para a aposentadoria.


Receitas – Despesas = Poupança


Como iniciar a elaboração do meu orçamento?


O processo de elaboração do orçamento se inicia a partir do registro de tudo o que você (ou sua família) ganha e gasta dado determinado período, que pode ser de um mês, um ano, etc.


Para facilitar a comunicação usarei a partir de agora apenas a palavra Orçamento, mas entenda sendo o Orçamento Pessoal ou Familiar.


Obviamente existe mais de uma forma de elaboração de orçamento, irei apresentar aqui a que considero mais eficiente. Esta consiste em três etapas: planejamento, registro, agrupamento e avaliação.


“Mais uma vez reitero, o planejamento é parte essencial para bem elaboração do seu orçamento. Dúvidas sobre este assunto, leia o artigo anterior: Planejamento Financeiro e a Formação de Poupança. Você pode clicar aqui.”


1° Fase: Planejamento


Nesta fase você deve estimar as receitas e despesas que terá no período. Veja algumas sugestões que podem o ajudar nesta fase:


·      Diferencie as suas receitas e despesas fixas das variáveis.

Em suma a parte variável é aquela que, seja muito ou pouco, varia de um mês para o outro. Já a fixa é a que nunca varia ou varia bem pouco.

·      Lembre-se dos compromissos sazonais.

Estes são impostos, seguros, matrículas escolares, etc.

·      Lembre-se dos compromissos já assumidos.

Como cheques pré-datados, prestações a vencer, fatura de cartão, etc.

·      Utilize informações passadas de contas de água, luz, telefone, etc.




2° Fase: Registro


Para evitar esquecimentos, é necessário que você anote tudo: receitas e despesas e que, preferencialmente, faça isso todos os dias. Eis algumas sugestões:


·      Diferencie as várias formas de pagamentos e desembolsos, separe tudo em: crédito, débito e dinheiro;

·      Guarde os comprovantes de utilização dos cartões (débito e crédito);

·      Confira extratos bancários e as faturas do cartão de crédito;

·      E o mais importante: anote todos os gastos. Pode ser em uma caderneta, uma planilha no Excel, um aplicativo financeiro (recomendo o Yupee). Enfim, busque a forma que você melhor se adapta.




3° Fase: Agrupamento


Conforme o passar do tempo, você perceberá que serão muitas suas anotações, por isso o ideal é que você as agrupe.


O agrupamento é um facilitador para que você perceba com que gasta a sua renda. Você pode agrupar por exemplo em: gastos com alimentação, educação, vestuário, habitação, transporte, lazer, etc.


São diversas as formas de agrupamento e você pode encontrar a que mais se encaixa à sua realidade financeira.


4° Fase: Avaliação


Nesta fase você irá avaliar como suas finanças se comportaram ao longo do mês e irá agir de forma corretiva e preventiva para que seu salário e renda lhe proporcionem o melhor.


Avaliar é sinônimo de reflexão, pelo menos aqui. Por isso, sugiro refletir sobre tais pontos:


·      Você gastou menos, o mesmo ou mais do que recebeu?

·      Seus sonhos e metas financeiras precisam de curto, médio ou longo prazo? São compatíveis com o seu orçamento? Você tem separado recursos para realiza-los?

·      Observe os seus gastos, pois a soma de “muitos poucos” pode ser relevante. Avalie se algo pode ser cortado.

·      É possível aumentar suas receitas?


Com o tempo, orçamento ajuda as pessoas a serem superavitárias. Isto é, o orçamento ajuda as pessoas a manterem suas receitas maiores que as suas despesas.





Lembre-se sempre: antes de sair pagando as suas dívidas, pague a si mesmo primeiramente. Por que não? Cultive este hábito!


E para terminarmos com chave de ouro este tempo de aprendizagem, citarei algumas das vantagens da importância da prática do Orçamento.


ü  O orçamento é uma das mais valiosas ferramentas para que você organize sua vida financeira. Crie o hábito de fazê-lo, você só tem a ganhar! ;)

ü  Lembre-se da regra de ouro: tente sempre manter as suas receitas maiores que suas despesas.

ü  Caso você tenha dificuldades no início, não desanime. É normal termos dificuldades ao iniciarmos qualquer novo hábito.

ü  Lembre-se que existem diversas ferramentas para auxílio na elaboração do seu orçamento. Como dica: eu costumo usar o Yupee (um aplicativo).

ü  Após conseguir um orçamento superavitário (gastar menos do que ganha), adquira o hábito de poupar, seja para realização dos seus sonhos ou alguma situação de imprevisto.

ü  Caso seja a sua realidade, não deixe de envolver a família na elaboração do orçamento, converse e trace um plano em comum.




Bom, este foi o artigo desta semana, o quarto da nossa série sobre Educação Financeira. Não deixe de ler os artigos anteriores! =)


Se você ficou com alguma dúvida sobre o tema, deixe aí nos comentários que responderei. Se este conteúdo lhe agregou algum valor, compartilhe com seus amigos em suas redes sociais, desta forma podemos ajudar mais pessoas.



Até a próxima! =)